Incompreensível



Hoje estive na Exposição Canina de S. João das Lampas.
Quando cheguei lá estava a decorrer uma prova em que participava uma cadela dogue argentino. Via-se que já tinha tido muitas ninhadas pelo tamanho das maminhas.
Fiquei com os olhos fixos nela, a pensar na Spring e vieram-me as lágrimas aos olhos.
Como é possível amar tanto uma cadela?

4 comentários:

Daisy disse...

I., é daquelas coisas que não se explicam, nem se compreendem. Sentem-se, cá bem dentro dos nossos corações e colam-se fundo na nossa alma... cá para mim, é um tipo de amor transcendente, aquele que sentimos pelos nossos "filhos" caninos e felinos. Eu também sinto isso muitas vezes, ao ponto de me chegarem as lágrimas aos olhos. Eu nunca conheci a Spring pessoalmente, apenas segui a sua estória e o que a I. fez por aquela menina, mas sinto por ela um carinho muito grande!Sofri quando a I. se viu na contingência de a deixar adoptar e fiquei muito contente quando soube que ela continuaria consigo... há coisas que não se explicam! Um beijo para todos xxx

Anônimo disse...

OLÁ
D.Inês

Sou a Anizabel de Trajouce (encontrei a Spring) e fiquei bastante comovida ao ler as suas palavras...
Mas sabe, como eu a compreendo, pois eu encontrei-a atrás da minha cozinha, resolvi ajudá-la, e tive sorte. Eu poucas pessoas conheço, mas fiz o telefonema certo...:)
E ela está numa moldura no quarto do meu filho, como estava e como está... Também sinto um grande AMOR POR ELA. Compreendo o seu.

Ponha uma foto dela...:)

CONTINUE A SER COMO É...EXTRAORDINÁRIA

Beijinhos

Anizabel

Anônimo disse...

Olá D.Ines ! Sou o Miguel,o filho da Anizabel, que encontrou a spring.
Tenho a foto dela no meu quarto !!!. Sera que pode por uma foto dela actual. Gosto muito de Ler o seu blog.... tambem gosto muito de animais..
Até breve !
Miguel :)

Casa do Pinhal disse...

D. Isabel,
Miguel,
Obrigada pelas vossas palavras; aquecem-me o coração!
Infelizmente a minha máquina fotográfica avariou-se e não tenho tirado fotos novas...
Assim que puder, prometo que posto.
Um grande, grande abraço

Inês

"Sempre que um cão sai das minhas mãos para uma nova família, desejo que o tratem tão bem, ou ainda melhor, que eu. Desejo que compreendam que o cão não entra na suas vidas para os fazer felizes, mas, inversamente, a ideia é eles fazerem feliz o cão."