A Casa do Pinhal

Girassol na Costa da Caparica



Moro na Casa do Pinhal, numa aldeia a cerca de 7 km da Ericeira, numa rua sem saída, que se prolonga por um caminho de terra batida até aos campos cultivados, às vinhas e aos pinhais.
Vivo com 2 cães, uma cadela e uma gata: o Google e o Manuel, a Girassol e a Cosca.
Além dos habitantes permanentes, acolho alguns “hóspedes” cujos donos vão de férias ou têm de se ausentar por alguma razão.
Cada vez mais pessoas preferem deixar os seus companheiros em famílias de acolhimento em vez de hotéis. Acho que o fazem por duas razões. A primeira é que uma família de acolhimento proporciona um ambiente familiar ao qual os cães estão habituados, companhia humana e canina, passeios, enquanto nos hotéis os cães permanecem fechados nas boxes a maior parte do tempo. A segunda razão é o preço: as famílias de acolhimento são geralmente mais baratas que os hotéis.


Resolvi criar este blogue para ir dando notícias dos meus hóspedes aos seus donos que, mesmo quando viajam para o outro lado do mundo, têm acesso à internet. Eu sei as saudades que sentimos dos nossos companheiros caninos quando nos separamos deles!

Um comentário:

mariajmoreira disse...

Eu sou amiga e visita assídua da Casa do Pinhal.Penso muitas vezes na I e na simplicidade do seu dia a dia:tratar, cuidar, amar e mimar os seus animais (seus são todos os que lá estão e mais aqueles a quem ajuda à distância..)
Venho de lá na moleza daquela estrada vagarosa a pensar que gostava de ser cão na casa do Pinhal. Feliz e contente... Au Au, béu,béu e outros dizeres- todos te amamos querida I

"Sempre que um cão sai das minhas mãos para uma nova família, desejo que o tratem tão bem, ou ainda melhor, que eu. Desejo que compreendam que o cão não entra na suas vidas para os fazer felizes, mas, inversamente, a ideia é eles fazerem feliz o cão."