Obras

Felizmente, o dia amanheceu sem chuva e as obras começaram! Finalmente! Pelo plano inicial já deveriam ter acabado há muito.
Se tudo correr como o previsto (que nunca acontece) daqui a quinze dias a Casa do Pinhal vai dispor de cinco belas boxes de 10m2 cada. Assim será mais fácil, acolher os cães que não são muito sociáveis e aqueles cujos donos preferem que fiquem separados dos outros.
Para já, o que tenho é um terreno cheio de lama, de marcas de tractor, de areia, cimento, tijolos…
Estou ansiosa para que as obras terminem e para me poder dedicar a criar um lindo jardim no que agora não passa de um lamaçal. Como não percebo nada de arquitectura paisagística, agradeço sugestões, principalmente no que concerne à cobertura do terreno. Relva? Que tipo de relva? Gostaria de algo que não necessite de muita manutenção e seja resistente a cães.

3 comentários:

Daisy disse...

Boa sorte para as obras I. Quanto ao jardim, eu não aconselharia relva - é bonita mas não é à prova de cães... e eu que o diga: tinha um lindo jardim de cerca de 800m2 todo relvado e agora tenho algo parecido com a superfície lunar!! O meu samoiedo, Rudolph, encarregou-se de abrir o maior nº de buracos possível por m2 e a amiga Daisy ajudou!
O melhor mesmo talvez seja aquela gravilha branca que agora se usa em jardins,ou casca de pinheiro, ou as duas. Lajes de cimento ainda são as mais resitentes, mas ficam tão feias...
Beijos para todos xxx

Casa do Pinhal disse...

Obrigada pelas sugestões que me enviaram (tanto para o blogue como para o email). Compreendo que a relva não é propriamente à prova de cães, mas... Comreendam; eu sempre vivi em apartamentos e pela primeira vez na vida tenho um bocadinho de terra! Não consigo pensar em cobri-la com gravilha. Quero verde. Quero árvores e plantas. Já não digo flores porque sei que não duravam nem um dia, mas...

contasdevidro disse...

Aceito o teu querer, mas olha que casca de pinheiro me parece muito bem.

"Sempre que um cão sai das minhas mãos para uma nova família, desejo que o tratem tão bem, ou ainda melhor, que eu. Desejo que compreendam que o cão não entra na suas vidas para os fazer felizes, mas, inversamente, a ideia é eles fazerem feliz o cão."