As Raças e os Signos



Entrei na livraria à procura de um livro sobre cães. Uma livraria simpática, de bairro, dessas que é bom encontrar ao virar da esquina. O que eu gosto de livrarias!
Na secção de livros sobre cães, que não passa de uma prateleira, mais de metade dos livros eram sobre uma determinada raça: o Pastor Alemão, o Caniche, o Perdigueiro, o Rafeiro Alentejano, etc.
Acho muito bem que se escrevam livros sobre as características de cada raça, mas, para mim, não faz sentido. Seria como comprar um livro sobre “A Mulher do signo Peixes” ou “O Homem do signo Leão”. As pessoas do mesmo signo podem partilhar certas características comuns, mas as diferenças individuais são tantas que nenhum livro sobre um signo do zodíaco poderá descrever um indivíduo desse signo na sua plenitude. O mesmo se passa com as raças dos cães.
Acho que uma pessoa que viva com dois cães da mesma raça poderá encontrar tantas diferenças entre ambos, como pontos em comum.
Eu lido, principalmente, com os chamados rafeiros, (mais correctamente conhecidos como cães sem raça definida) pelo que tive de cingir a minha escolha entre meia dúzia de livros.
Optei pelo “Grande Manual dos Cães” de Arden Moore. Um livro simpático e acessível, estruturado num esquema de perguntas/respostas que o torna um pouco repetitivo mas onde poderemos encontrar todos os comportamentos caninos que temos mais dificuldades em compreender ou evitar. Estou a gostar.

3 comentários:

Fada do bosque disse...

O Manual Completo De Tratamento De Cães - de Bruce Fogle, também é bom, mas é mais um guia prático, para cuidar de cães... no geral, não no que respeita a raças.

Fada do bosque disse...

Tive três Setters Irlandeses e eram tão diferentes, tão diferentes... Um arrojado e pouco obediente, outra super tímida, medrosa, meiga, obediente e inteligente; ainda outra, super estarola, pouco meiga e inteligência... nem por isso... Portanto tem toda a razão!

A Tela disse...

Os cães encostam-se muito à personalidade dos donos, independente/ da raça: pessoas amistosas têm cães amistosos, pessoas violentas têm cães violentos...A sociabilização e o meio em que vivem, tal como para o Homem, é determinante. Os meus preferidos também são os rafeiros: mais espertos, mais imunes, com mais defesas, devido à diversidade da genética. Não dão status, mas um amor eterno e incondicional.

"Sempre que um cão sai das minhas mãos para uma nova família, desejo que o tratem tão bem, ou ainda melhor, que eu. Desejo que compreendam que o cão não entra na suas vidas para os fazer felizes, mas, inversamente, a ideia é eles fazerem feliz o cão."