A História do Neve que agora se chama Tomé

O Tomé foi adoptado por um casal muito simpático que está completamente apaixonado por este cachorro grande. Ele merece!
Estou a aguardar fotos do Tomé na nova casa para partilhar convosco.
Entretanto a Susana continuou à procura do registo do chip e eis o que descobriu:

  1. O cão foi chipado quando foi adoptado no canil de Sintra, mas a dona nunca deu seguimento ao registo, por isso é que não constava nas bases de dados.
  2. A Susana falou com a dona que lhe disse que o cão não estava com ela, mas, sim, com a mãe e que esta lhe havia dito que o cão tinha morrido!
  3. Após um interrogatório mais cerrado, a mãe acabou por confessar que o cão tinha fugido!

Nem vou fazer comentários a esta história rocambolesca. Não vale a pena. Apenas acrescento que o Tomé passeava comigo sem trela e nunca se afastava muito, apesar de estarmos no campo e ele poder correr por onde quisesse.
Uma vez que os donos não participaram a “fuga” do cão no prazo de 8 dias, o Tomé deixou legalmente de lhes pertencer, pelo que os novos donos poderão passar o registo do chip para o seu nome.
Esta história teve um final feliz, graças à Susana que não virou as costas quando viu este cão abandonado. Obrigada, Susana!

3 comentários:

Isabela Figueiredo disse...

Obrigada Susana, o Tomé é um cão maravilhoso, sociável, cordial. Adorava-o para mim, se pudesse ter mais.
Mas eu adoro os cães todos da Casa do Pinhal.

contasdevidro disse...

Leio estas histórias e fico com vontade de me dar espaço para me apaixonar por um@ Tomé que ande por aí...

Casa do Pinhal disse...

Contas de Vidro, força!

"Sempre que um cão sai das minhas mãos para uma nova família, desejo que o tratem tão bem, ou ainda melhor, que eu. Desejo que compreendam que o cão não entra na suas vidas para os fazer felizes, mas, inversamente, a ideia é eles fazerem feliz o cão."