Mais cedo ou mais tarde, havia de acontecer


Estava convencida que tinha deixado claro que a Casa do Pinhal é uma FAR que significa Família de Acolhimento Remunerada. Sou uma pessoa que gosta de cães e que gosta de tratar deles, não sou uma associação de apoio a animais abandonados.
É certo que, por vezes, recebo animais gratuitamente, mas parte de uma decisão minha, não sou, nem posso ser, uma alternativa ao canil municipal.
Ora hoje telefonou-me uma senhora que tem 3 cadelas e vai mudar de uma vivenda para um apartamento onde não aceitam animais. Era para saber se eu poderia ficar com as cadelas e até oferecia uma casota grande.
Perguntei-lhe quanto estaria disposta a pagar para tomarem conta das cadelas, mas a senhora não tinha pensado nisso. Compreendo que uma pessoa que muda de uma vivenda para um apartamento pode estar a passar uma fase de dificuldades financeiras. O que não compreendo é que passe pela cabeça de alguém que eu, que sou só uma, possa assumir as despesas de ficar com mais 3 cães! A alimentação, as vacinas, as coleiras contra as carraças, as pipetas anti-pulgas, as possíveis despesas no veterinário…
As associações podem assumir estas despesas porque têm sócios que pagam quotas, donativos, patrocínios…e mesmo assim, fazem-no com muitas dificuldades.
Combinei que segunda-feira telefonaria à senhora. Ela ficou de pensar com quanto poderia contribuir. Não acredito que o valor que vai apresentar seja suficiente. Uma das cadelas é jovem, de raça, e penso que seria adoptada facilmente. As outras duas têm cerca de 7 ou 8 anos. Não só não muito “adoptáveis”, como é de prever que venham a necessitar de cuidados médicos que, já se sabe, a idade não perdoa!
Tenho o fim-de-semana para pensar, mas, sinceramente, não sei que lhe diga.

Um comentário:

A Tela disse...

Três meninos de uma assentada é dose! De cuidados, dinheiro e responsabilidade. Nas clínicas, muitas vezes as pessoas deixam os animais internados e nunca aparecem mais. É bom estar prevenida.

"Sempre que um cão sai das minhas mãos para uma nova família, desejo que o tratem tão bem, ou ainda melhor, que eu. Desejo que compreendam que o cão não entra na suas vidas para os fazer felizes, mas, inversamente, a ideia é eles fazerem feliz o cão."